quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Polícia Civil prende assaltante de banco na Vila Lobão




            Policiais do Serviço de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Maranhão, sob o comando do delegado Tiago Bardhal, prenderam no início da madrugada dessa terça-feira (20) um homem acusado de vários assaltos a banco no Maranhão, Piauí e Tocantins.
            Trata-se de Maxson Oliveira Silva, 29 anos, que é conhecido no meio da quadrilha à qual pertence como “Boca de Lata”, em função de que usa aparelho nos dentes.
            Segundo o delegado Tiago Bardhal, a prisão de Maxson Oliveira Silva foi em cumprimento a um mandado de prisão expedido pela Justiça de Tocantins decretada pelo juiz José Carlos Tajra Reis Júnior, da Comarca de Araguatins.
Naquela cidade tocantinense, Maxson Oliveira responde por assalto ao Banco da Amazônia S/A (BASA) em junho deste ano, ocasião em que aconteceu o chamado “sapatinho”, que consiste no sequestro da família do gerente ou de outro funcionário administrativo do banco, normalmente à noite, e no dia seguinte, enquanto uns bandidos ficam com a família, outros vão até a agência e roubam o dinheiro.
            Nesse caso, o bando de Maxson não conseguiu levar nenhum centavo, haja vista que o plano foi descoberto e a polícia chegou junto e a quadrilha empreendeu fuga. Portanto, em Araguatins Maxson responde por crime de assalto tentado e sequestro, já que tomou o gerente e a família como reféns.
Maxson é acusado também de envolvimento em outro assalto a banco em Teresina, em 2008. Naquela ocasião, ele e o seu bando, que tem também o imperatrizense Franknilson, o Frank, que foi preso e cumpre pena em Teresina, assaltaram o Banco do Estado do Piauí (BEP), sendo usado o mesmo modo de agir, ou seja, “sapatinho”. Em Açailândia, ele é acusado de participação em roubo de cargas, juntamente com o seu bando.
            O PROGRESSO apurou que Maxson Oliveira Silva está sendo investigado por possível envolvimento no assalto ao Banco do Brasil de João Lisboa, que aconteceu em setembro último. Nesse assalto, foi usado também o conhecido “sapatinho” e foram roubados R$ 300 mil.
            Maxson, que já vinha sendo monitorado, foi abordado por volta de 1 hora da madrugada de ontem, quando chegava na residência da namorada, localizada na Rua Sálvio Dino, Vila Lobão.
            Quando ele observou a presença dos policiais, tentou fugir, mas os agentes efetuaram disparos para que atendesse à ordem de prisão. Maxson pulou vários muros até se entregar.
            Ainda ontem ele foi recambiado para Araguatins e de lá deverá ser transferido, por questões de segurança, para a Penitenciária Barra da Grota, localizada na cidade de Araguaína (TO).

Fonte: O PROGRESSO

Nenhum comentário:

Postar um comentário