quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Tirone se diz perseguido, fala em não desistir e cutuca Fluminense



Em entrevista emocionada, presidente diz que não teme ameaças, não se sente culpado e garante que Palmeiras subirá em campo: ‘Não como outros’


Arnaldo Tirone, presidente do Palmeiras (Foto: Anderson Rodrigues / globoesporte.com)
Arnaldo Tirone diz que não vai se esconder
(Foto: Anderson Rodrigues / globoesporte.com)


Em entrevista que durou mais de uma hora nesta terça-feira, na Academia de Futebol, o presidente Arnaldo Tirone foi a voz oficial do Palmeiras dois dias depois do rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro. Em discurso emocionado, Tirone mostrou que está pressionado de todos os lados, mas avisou que não vai desistir, nem se esconder. O mandatário relatou ameaças sofridas por telefone e até registrou Boletim de Ocorrência em uma delegacia de São Paulo.
Mesmo assim, ele assegurou que vai continuar tendo uma vida normal, e ainda revelou que tem o aval de bancos para empréstimos relativos à próxima temporada.
– Não estou me escondendo, estou colocando a cara para bater, caso contrário não teria ido à praia ontem (segunda-feira, no Rio de Janeiro). Assinei avais de R$ 10 milhões, só no Bradesco foram R$ 6 milhões. Tenho brigado com amigos antigos, com meus filhos, tenho sofrido perseguição e ameaças, já checaram todos os números do meu telefone que ameaçaram, está com a Polícia. Mas nada disso vai me abater, não vou me esconder dentro do armário ou debaixo da cama – desabafou o presidente.
Por várias vezes, Arnaldo Tirone repetiu que tentou fazer o melhor pelo Palmeiras, mas faltou sorte, frases que já havia proferido em entrevistas anteriores. Ao mesmo tempo, assegurou que o Palmeiras vai montar um elenco forte em 2013, pensando na Taça Libertadores e na própria Série B – esse time seria formado só por jogadores “comprometidos com o clube”.
Durante o período de conversa com os jornalistas, o presidente também falou dos rivais. Para ele, o Corinthians tem um elenco mais robusto, e “um time” precisa pagar a dívida de um acesso direto da Série C para a A.
Confira abaixo os principais trechos da entrevista:
Tirone Palmeiras praia (Foto: Pedro Fogaça/Veja.com)
Tirone aproveitou estadia no Rio para ir à praia, na
segunda-feira (Foto: Pedro Fogaça/Veja.com)
Pressão após ida à praia
Se eu estivesse num restaurante, numa boate... Tenho sofrido muita pressão, briguei com filhos, família, amigos, mas tenho frequentado o clube diariamente. Estive todos os dias no clube, fui no feriado e tudo. Podem ver que 95% das assinaturas de documentos são minhas, não delego funções a ninguém. Fui para o Rio de Janeiro porque o time jogou próximo e eu precisava colocar minha cabeça no lugar. Há 15 dias, fui tomar um banho de mar no Guarujá e voltei. Sou ser humano, quero colocar a cabeça no lugar. Não sou bandido. Vocês viram a foto, eu estava triste e no telefone, conversando com vocês da imprensa, conselheiros, torcedores. Palmeirenses na praia vieram dar uma palavra de apoio. Mas nunca vou me abater.

Erros na gestão
Acho que eu tentei acertar em tudo. Mas quando você tenta acertar, acaba errando em muita coisa. Não sei qual foi o erro. Não deixamos de pagar salário, organizar o clube, frequentar o clube, a diretoria trabalhou. Eu assumi um clube com 75% das receitas comprometidas e sem dinheiro em caixa. O ano passado foi difícil. Eu não me sinto culpado, porque eu não fiz nada de propósito, nem nada grave, cumpri as obrigações, assim como faço há 57 anos, tempo que sou sócio do Palmeiras. Tenho feito de tudo para acertar.

Time para 2013
O Palmeiras tem de ter um time para disputar tudo, o técnico (Gilson Kleina) tem capacidade para montar um time competitivo, comprometido com o Palmeiras, é o que o Marcos Assunção é, Henrique, Barcos... Muitos vão embora, mas foram campeões da Copa do Brasil, colocaram o Palmeiras na Libertadores. Estão indo embora por uma circunstância de planejamento. Não quer dizer que eles não têm condição de jogar aqui. Então, o que queremos? Vamos ter um time competitivo, mais forte do que esse, para disputar todos os campeonatos.

Comparação com o Corinthians
Eu acho que o elenco do Corinthians é mais robusto, o Palmeiras tem um bom elenco. Mas o Palmeiras sofreu mais que o Corinthians, o Corinthians teve mais sorte em relação a contusões e ao rendimento do time, encontrou um caminho de jogar. Teve uma fase em que o Corinthians estava igualado ao Palmeiras, também estava preocupado com o rebaixamento, mas o Palmeiras não teve a sorte que eles tiveram.

Dignidade na Série B
O Palmeiras vai voltar jogando futebol. Teve um time que foi campeão da Série C e voltou por um convite da CBF (Fluminense, em 2000). O Palmeiras foi para a Série B e vai voltar jogando com um time forte. O Palmeiras vai jogar com um time forte.

Arnaldo Tirone, presidente do Palmeiras (Foto: Anderson Rodrigues / globoesporte.com)Tirone concedeu entrevista coletiva na Academia de Futebol (Foto: Anderson Rodrigues / Globoesporte.com)

Nenhum comentário:

Postar um comentário