domingo, 2 de dezembro de 2012

Alonso pede fim de polêmica com Vettel no Brasil e projeta 2013


O piloto espanhol Fernando Alonso, da Ferrari, afirmou neste domingo que considera "inútil" manter viva a polêmica gerada com a divulgação de um vídeo que mostra uma suposta manobra ilegal de Sebastian Vettel no GP do Brasil e que passou despercebida pela comissão da prova.
 
Alonso, que assistiu neste domingo às Finais Mundiais da Ferrari, no circuito da Comunidade Valenciana, na Espanha, teria ficado com o título mundial se Vettel fosse punido por ter feito uma ultrapassagem com bandeira amarela. A FIA (Federação Internacional de Automobilismo), porém, manteve o resultado do GP e com isso o piloto alemão da Red Bull é considerado o campeão da temporada.
"Os torcedores pediam uma explicação, e a Ferrari a pediu em carta à FIA. A resposta foi que havia uma bandeira verde, que validava a ação, e não há mais o que dizer. Estou de férias e já pensando em 2013", afirmou Alonso.

Manuel Bruque/Efe
O piloto espanhol Fernando Alonso em entrevista coletiva durante as Finais Mundiais da Ferrari
O piloto espanhol Fernando Alonso em entrevista coletiva durante as Finais Mundiais da Ferrari
"Estou encantado com o jeito como as coisas aconteceram. Perdemos o título mundial por três pontos, mas fiz o melhor campeonato da minha vida. Foi um milagre corrida após corrida o que conseguimos, mas não se deve falar mais sobre uma bandeira amarela na corrida do Brasil", acrescentou o espanhol.
Alonso afirmou que perdeu o título não em Interlagos, mas nos GPs da Bélgica e do Japão, onde não conseguiu completar sequer uma volta ao ser atingido por outros carros.
O bicampeão mundial de F-1 considera que a Ferrari deve focar seu trabalho em melhorar nos treinos classificatórios para lutar por poles e "largar o mais à frente possível em cada corrida", além de ter "um pouquinho" mais de sorte --em referência aos abandonos que ele não provocou.
"Foi um ano perfeito em estratégia, paradas em boxes e preparação de um fim de semana. A única coisa que faltou foi, certamente, a capacidade do carro, que não esteve ao nível de outros que foram melhores", explicou.
Nesse sentido, Alonso insistiu que, embora melhorar o carro seja "o mais difícil", a Ferrari é "uma equipe grande" como mostrou após ter lutado pelo título até a última corrida apesar de nos primeiros testes do ano ter ficado a dois segundos dos melhores.
Sobre os três anos em que está na Ferrari, Alonso disse que foram "os melhores" de sua carreira, apesar não ter conquistado o título.
"Há pilotos com um título e que são considerados os melhores. Senna ganhou três e é considerado o melhor, apesar de outros terem mais. Quando me aposentar, tenha os títulos que tiver, espero que me considerem entre os melhores", concluiu.

Manuel Bruque/Efe
Luca di Montezemolo, presidente da Ferrari, e Fernando Alonso caminham pelo circuito de Valência, na Espanha
Luca di Montezemolo, presidente da Ferrari, e Fernando Alonso caminham pelo circuito de Valência, na Espanha

Nenhum comentário:

Postar um comentário