quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Rafinha decepcionou ao pedir desculpas a Luciano Huck

 

 
Há pouco mais de um ano, no auge do escândalo que acabou por afastá-lo da Band, assinei uma coluna aqui no "F5" a favor de Rafinha Bastos. Não, não cheguei a defender a piada sem graça que ele soltou sobre o bebê de Wanessa -- que para mim também não passou disso, uma piada sem graça. Mas aplaudi sua coragem em não retirar o que havia dito nem pedir desculpas.
Grosseiro com terceiros, irônico consigo mesmo, lúcido e destrambelhado ao mesmo tempo, Rafinha é um caso único no showbiz brasileiro. Em ausência de papas na língua, só Luana Piovani se aproxima dele. Mesmo assim, até onde eu sei ela nunca foi processada pelas farpas que dispara no Twitter. Já o ex-"CQC" (e agora também ex-"SNL") é um réu tão frequente que até faz piada sobre isto.
E agora ei-lo de volta às manchetes, dando palpites públicos num caso onde não estava diretamente envolvido. Dá até para suspeitar que seja um gesto calculado: "pô, faz tempo que eu não sou notícia, preciso inventar alguma coisa".
Mas o tom chulo de sua já famosa carta aberta a Luciano Huck faz pensar que ela foi escrita num rompante, sem pesar as palavras: "fez merda", "seu bosta". Por outro lado, também inclui uma frase amargamente verdadeira: "Para a maioria do país, comunicador FDP não é aquele coloca a vida dos outros em risco, é aquele que fala o que pensa." Bingo.
Huck já tinha tentado abafar o caso, proferindo supostos atenuantes: teria ingerido uma única taça de vinho e dirigido por apenas 800 metros, até o clube onde se realizava a homenagem a um amigo que completava 50 anos de carreira e 70 de vida (aqui entram os violinos). Foi divertido ver Rafinha despedaçar com algumas patadas o bom-mocismo do apresentador do "Caldeirão". Mas, como sói acontecer, novamente ele exagerou na dose.
A resposta veio ainda na tarde de ontem: sentindo-se ofendido, Huck acionará Bastos na Justiça. Na minha opinião, uma bobagem, pois só servirá para prolongar o caso e mantê-lo na mídia.
Mas eu não esperava a tréplica. À noite o humorista foi ao Facebook e fez um pedido público de desculpas ao astro global. Confesso que fiquei ligeiramente decepcionado: gosto do Rafinha Bastos que afunda atirando. Que fala o que pensa nem que tenha que pagar caro por isto.
Vai ver que nem ele aguenta mais tanto processo. Nem deve ter dinheiro para tanto: ao que consta está sem emprego fixo no momento, já desligado da Rede TV!, mas ainda não oficialmente de volta à Band. Fora que deve ter um exército de secretários, advogados e parentes implorando para ele se controlar.
Sinceramente, torço para que Rafinha se saia bem de mais este vespeiro, onde ele entrou por livre e espontânea vontade. Acho salutar sua presença no mundo das celebridades, onde cada declaração é controlada pelos assessores de imprensa e nenhuma roupa suja pode ser lavada em público, sob o risco de manchar a própria imagem e perder contratos publicitários.
Rafinha sempre pareceu se lixar para tudo isto, mas pelo jeito até ele tem limite.

Rafinha Bastos

 Ver em tamanho maior »
Reprodução/Instagram/rafinhabastos
AnteriorPróxima
Rafinha Bastos postou foto comemorando seu primeiro pedido de desculpas público
Tony Goes tem 52 anos. Nasceu no Rio de Janeiro mas vive em São Paulo desde pequeno. É publicitário em período integral e blogueiro, roteirista e colunista nas horas vagas. Escreveu para vários programas de TV e alguns longas-metragens, e assina a coluna "Pergunte ao Amigo Gay" na revista "Women's Health". Colaborador frequente da revista "Junior" e da Folha Ilustrada, foi um dos colunistas a comentar o "Big Brother 11" na Folha.com.

Nenhum comentário:

Postar um comentário