sábado, 29 de dezembro de 2012

Termina neste domingo Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa

 
São Luís - Os criadores de bovinos e bubalinos têm até este domingo (30) para vacinar seus animais contra a febre aftosa. A campanha, realizada pela Agência de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima), iniciou no dia 01 de novembro e foi prorrogada para até o dia 30 de dezembro em consequência da estiagem que atingiu o Maranhão.
Após a vacinação, o criador terá até o dia 20 de janeiro para comprovar a imunização dos animais. Basta ele levar a nota fiscal de compra da vacina no escritório da Aged em que é cadastrado.
Caso o criador não vacine seu gado no prazo, será multado em R$ 200,00 e mais R$ 5,00 por animal não imunizado. O criador que vacinar e não comprovar a vacinação também paga multa no valor de R$ 200,0.
O diretor geral da Aged, Fernando Lima, explicou que os números da parcial realizada pela Aged dos animais já imunizados e que os criadores já comprovaram a vacinação, está dentro da média das últimas campanhas. “Com certeza até o dia 20 de janeiro de 2013 atingiremos o índice da última campanha ocorrida em junho, que foi de 97%, avaliou Fernando Lima. “É preciso um esforço de todos para que isto venha a ocorrer, diante das dificuldades climáticas adversas ocorridas nesta segunda etapa da campanha”, complementou.
A previsão é de que em meados do mês de maio de 2013, o Maranhão eleve do atual status de Zona de Médio Risco e seja classificado, nacionalmente, como Zona Livre de Febre Aftosa com Vacinação. A classificação internacional junto a Organização Mundial da Saúde está prevista para maio de 2014.
Na semana passada, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) divulgou o resultado da sorologia de 10.800 animais do rebanho maranhense, que apontou a inexistência da circulação do vírus da aftosa. “Esse resultado, juntamente com outros já alcançados pelo Maranhão, como por exemplo, a melhor nota de avaliação na auditoria realizada em oito estados que pleiteiam essa nova classificação sanitária e também o recorde de cobertura vacinal de 97% de imunização, atende a todos os critérios do Mapa para que sejamos classificados como zona livre da doença”, explicou o secretário da Sagrima, Cláudio Azevedo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário