domingo, 23 de dezembro de 2012

TJ-MA quer apuração do crime e a prisão do acusado de tentar contra a vida de juiz

 

 
O presidente do Tribunal de Justiça do Estado, desembargador Antonio Guerreiro Júnior, acionou a Diretoria de Segurança Institucional do TJMA para acompanhamento integral e apuração da agressão de que foi vítima, na sexta-feira (21), o juiz Marcelo Testa Baldochi, da 3ª Vara da Família, da comarca de Imperatriz.
O presidente orientou a diretoria para que trabalhe em parceria com o Serviço de Inteligência da Polícia Militar do Estado na rápida identificação e prisão do agressor.
Guerreiro Júnior lamentou o episódio, que considera um atentado covarde e revoltante contra a magistratura estadual. “Judiciário e sociedade estão perplexos com esse caso e também pela ousadia e método do agressor”, comentou. O presidente do TJ, contudo, vê na ação ato isolado de um indivíduo desequilibrado e, provavelmente, com compulsão para a violência.
Nesse sábado (22), o presidente foi ao Tribunal, onde despachou normalmente com assessores em cumprimento a plantão do 2º grau. Pela manhã, se reuniu com o diretor de Segurança do TJMA, capitão Alexandre Magno Nunes, para conhecer detalhes das medidas já tomadas e discutir outras no sentido de assegurar ampla segurança policial a Marcelo Baldochi, enquanto o magistrado permanecer sob cuidados médicos.
O presidente Guerreiro Júnior voltou a pedir aos juízes que acionem de imediato, por celular, a Diretoria de Segurança Institucional em casos de tentativa de agressão ou de qualquer ameaça a sua integridade física, e atos de vandalismo a prédios do Judiciário. “A diretoria tem trabalho sobretudo preventivo, no intuito de reduzir a probabilidade de ações dessa natureza”, esclareceu.
O caso
O juiz Marcelo Testa Baldochi foi agredido a pauladas, nessa quarta-feira (20), logo após sair da Romano’s Pizzaria, na rua João Lisboa. O fato ocorreu em meio a discussão sobre o preço que o flanelinha, conhecido como “Negão”, cobrou pela guarda do carro do magistrado. Baldochi se recusou a pagar os R$ 12 exigidos e teria havido uma discussão entre o magistrado e o acusado, que ainda se encontra foragido.
Baldochi ainda se encontra em observação no Hospital das Clínicas (HC).

Nenhum comentário:

Postar um comentário