terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Tucanos lançam Aécio à Presidência em 2014, mas senador diz que ainda é cedo


 
 
Em um evento do PSDB em Brasília, dois dos principais líderes do partido lançaram nesta segunda-feira (3) o senador Aécio Neves (MG) como presidente da sigla em 2013 e candidato à Presidência da República no ano seguinte.
"Aécio é seguramente o candidato da grande maioria do PSDB. Na minha opinião pessoal e de 99% do partido é que Aécio é o verdadeiro candidato do partido", disse o presidente do PSDB, deputado Sérgio Guerra (PE), para quem Aécio deve também assumir o partido. "E deve ser presidente do partido, assumir o papel que o Brasil já lhe dá."
A declaração do dirigente foi feita ao lado do senador e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.
Sergio Lima/Folhapress
Senador Aécio Neves e o ex-presidente FHC em encontro nacional do PSDB em um hotel de Brasília
Senador Aécio Neves e o ex-presidente FHC em encontro nacional do PSDB, que ocorreu em um hotel de Brasília
Em matéria publicada hoje pela Folha, FHC também defendeu que Aécio deve "assumir" a candidatura à Presidência da República na campanha de 2014.
O partido deve decidir o nome do próximo presidente nacional em convenção prevista para maio de 2013.
A cúpula do PSDB participa de evento em Brasília onde fazem o balanço das eleições municipais deste ano.
O ex-governador José Serra, derrotado na disputa pela Prefeitura de São Paulo e outro possível candidato do partido, não participa do encontro. Segundo pessoas próximas a Serra, ele está na Disney, com os netos.
Minutos antes das declarações de Sérgio Guerra, FHC voltou a dizer que Aécio precisava se assumir como um líder.
Questionado se tomaria essa postura, o senador mineiro se esquivou. "Olha, não conheço na história de nenhum país civilizado uma pessoa que se autoproclama líder", afirmou Aécio.
Ao lado dele, FHC o interrompeu e disse: "Eu que estou te proclamando". Sorrindo, Aécio então complementou: "Cumprirei meu papel como sempre cumpri, sem açodamento".
Segundo o tucano, o partido deve lançar o candidato só em 2014.
"Temos antes que apresentar ao Brasil a nova agenda dos próximos anos, que fale da gestão, da refundação da federação. Temos grande agenda para ser construída. Acredito que o momento do lançamento tem que ser de forma natural. Não é esse o momento ainda", disse Aécio.
O senador, no entanto, afirmou que os resultados das eleições municipais são favoráveis às próximas disputas eleitorais.
"Elegemos um número expressivo de prefeitos. Fomos o segundo partido com maior número de prefeitos espalhados, inseridos em regiões que eram inóspitas para nós. Estamos prontos com quadro qualificados com base sólidas para apresentar ao partido um projeto alternativo do que está ai. O Brasil está cansado do que está vendo", afirmou Aécio.
Entre as estratégias que a cúpula do partido será o de rodar o país para identificar os problemas que servirão como discurso contra o atual governo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário