sábado, 12 de janeiro de 2013

Buritirana foi abandonada pela última gestão

 



Prefeituras na região tocantina estão em situação de emergência

Ainda não sabemos exatamente quantas prefeituras na região estão em condições de fazer alguma coisa para a população, tal o nível de verdadeira calamidade pública que afeta a imensa maioria dos nossos 217 municípios do estado.
  Os únicos prefeitos que não têm o que reclamar, ao menos publicamente, da condição em que receberam a cidade que vão governar pelos próximos quatro anos são os reeleitos.
Não há um único prefeito eleito em 2012 que não reclama da famosa “herança maldita” deixada pelo antecessor. 
Enquanto não tivermos gestores municipais de verdade, o Maranhão não conseguirá superar os índices socioeconômicos sofríveis que nos envergonham nacionalmente. 
  Pode chegar o mais preparado dos homens ou mulheres públicos no Palácio dos Leões, mas se não houver mudanças pelas bases através da boa gestão dos municípios continuaremos a viver em um estado medíocre.
  Contudo, essa triste realidade dos municípios não absolve os vários governos que não tiveram o devido cuidado para que não se chegasse a uma situação tão crítica, pois foram complacentes e alguns casos até sócios da mesma agiotagem, incompetência e corrupção que arruinaram com as prefeituras maranhenses.
 Alguns políticos reclamam da imprensa por noticiarem somente ações negativas da classe. No entanto estamos aguardando tais fatos positivos para também noticiar.Buritirana - Com problemas elétricos, hidráulicos e em sua estrutura física, o prédio do Centro Administrativo da Buritirana, onde era para estar funcionando a prefeitura, está em completo estado de abandono.
Visitamos as instalações na manhã dessa terça-feira, 08, e o que vimos é realmente de assustar. São infiltrações no forro devido às inúmeras telhas quebradas, piso com grandes desníveis causados por rachaduras, além de portas e janelas com fechaduras danificadas.
Nas salas onde deveriam estar funcionando as secretarias de Administração, Agricultura, CPL, Recursos Humanos e o gabinete do prefeito, encontramos papéis revirados e pastas vazias. Os armários estão arrebentados e o mau cheiro está por todo o lugar. É possível encontrar atoleiros no estacionamento e todos os elementos tubulares que delimitam o acesso às dependências do prédio estão arrebentados.
O prefeito Vagtônio Brandão (PR) decretou Situação de Emergência. Segundo ele, a situação em que recebeu o município é de total desrespeito com o cidadão. “Não existe a mínima condição de trabalho. É uma coisa que impressiona dado o desrespeito e a falta de compromisso até mesmo com os serviços essenciais, que não poderiam ter parado em hipótese alguma”, disse o atual prefeito.
O decreto Nº 006, de 02 de janeiro de 2013, considera Situação de Emergência no município de Buritirana, pelo período de 90 dias, suficientes a tomada de todas as medidas e providências cabíveis no sentido de assegurar a continuidade dos serviços de responsabilidade da administração pública municipal, em especial os de natureza essencial.
Considera ainda que a gestão anterior não permitiu que fossem desenvolvidos os trabalhos de transição de governo voltados ao acesso aos documentos administrativos e fiscais. Além da falta de condições mínimas de salubridade, da falta de equipamentos, de materiais de expediente, de limpeza e outros imprescindíveis à continuidade das atividades administrativas.
O decreto inclui todos os órgãos da administração pública direta e indiretamente ligados à prefeitura.
Recadastramento - Convocados todos os servidores públicos do município para efetuar a atualização de dados cadastrais. O período de recadastramento dos servidores públicos municipais começou na última quinta-feira (10) e segue até dia 17 de janeiro, no horário de 8h às 12h e das 14h às 18h. O procedimento será realizado nas dependências da Unidade Escolar Presidente Costa e Silva, que fica localizada na Avenida Senador Sarney, centro de Buritirana. Para realizar o recadastramento, os servidores precisam comparecer pessoalmente à referida escola, munidos de documentos pessoais e formulário de recadastramento. O não comparecimento implica na suspensão do pagamento de vencimentos, sem prejuízo de outras medidas cabíveis.
Documentação necessária: Carteira de Identidade, CPF, título de eleitor; Certidão de casamento e/ou averbação da separação judicial, divórcio; Carteira de motorista, se exerce a função de motorista; Identidade Militar (se Militar), ou Carteira de Reservista; comprovante com nº do PIS/PASEP; comprovante de endereço; certificado de conclusão do curso de 1º e/ou 2º grau ou diploma de nível superior, se houver; Careira de registro profissional – CTPS; Certificado de conclusão de curso de especialização, Mestrado ou Doutorado, se houver; Cópia dos três últimos contracheques; Comprovante de autorização do afastamento, licença ou disposição a outro órgão; Duas fotos 3x4 atuais; Cópia de certidão de nascimento dos dependentes abaixo de 14 anos; Cópia do cartão de vacinação dos dependentes até 14 anos; Cópia do certidão de aperfeiçoamento e formação pedagógica, se houver; Comprovante bancário da conta salário; Portaria de nomeação e termo de posse. (Da Assessoria)

Nenhum comentário:

Postar um comentário