quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

De Dilma para Lobão: ‘O que está acontecendo?’

 

 

Antes de retornar a Brasília, a presidente Dilma Rousseff telefonou para o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, preocupada com o tom do noticiário que indicava os baixos níveis dos reservatórios. Da Base Naval de Aratu, na Bahia, Dilma foi direta: “Lobão, estou lendo os jornais. O que está acontecendo?”. O ministro respondeu: “Não há nada disso presidente. Não haverá desabastecimento. Os reservatórios estão baixos. Mas não há o que temer”.
A conversa foi revelada ao Blog pelo próprio Lobão. “A presidente Dilma tem que se preocupar com tudo. Ela tem que se preocupar com os portos, com os aeroportos, com as estradas e com a situação da energia. Ela é a presidente da República”, enfatizou Lobão.
O ministro disse que o secretário-executivo da pasta, Márcio Zimmermann, foi ao Palácio da Alvorada na noite desta terça para dizer à presidente que está “tudo dentro da normalidade”. “O Zimmermann foi explicar e atualizar Dilma sobre a situação. É razoável que ele faça isso. Até porque ele já foi auxiliar direto dela”, explicou Lobão, que ficou em outra reunião no ministério.
Segundo o ministro, as chuvas em várias regiões do país garantem a normalidade do abastecimento de energia. “Os reservatórios estão baixos, mas isso já era previsto. Isso acontece todo ano. Já começa a chover forte no Rio de Janeiro, no Sudeste e no Sul. Não vejo razão para tensão”, observou o ministro.
Antes de finalizar a conversa, Lobão fez um desabafo ao Blog. Disse que há “desinformação” nas análises de que o país teria dificuldade de crescer mais, pois não haveria energia suficiente para atender uma demanda maior. “É falso afirmar que haveria desabastecimento se o Brasil tivesse crescido 4%. O aumento do consumo não acontece na mesma proporção do crescimento do PIB. Se o Brasil tivesse crescido 4%, o aumento do consumo seria de 0,5%”, ressaltou Lobão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário