quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

PMDB avisa que quer tratamento diferenciado em 2013

 

 
 

O PMDB já mandou um recado ao Palácio do Planalto: em 2013, o partido quer receber um tratamento diferenciado da presidente Dilma Rousseff. “Agora, é olho por olho. A partir de agora, vamos entrar no processo eleitoral. O jogo de 2014 começou. O PMDB não pode ser tratado como aconteceu nos dois primeiros anos”, alertou ao Blog um influente peemedebista com trânsito livre no Palácio do Jaburu.
A cúpula do partido não esconde a contrariedade com o espaço secundário que tem recebido no governo Dilma, até o momento. Já é consenso no partido que num momento de dificuldade da economia, a presidente precisará de uma base confiável no Congresso. “O PMDB tem sido fiel. O vice-presidente Michel Temer tem segurado o partido sem ter nada o que oferecer. Isso tem limite”, acrescentou esse peemedebista.
O partido também não esconde o desconforto com os sinais de aproximação de Dilma com o governador Eduardo Campos (PSB-PE). Há desconfiança de que para garantir o apoio do socialista, Dilma acabe substituindo Temer por Campos na chapa de 2014.
O limite do PMDB está chegando ao fim. Integrantes do partido avisam que o prazo vai acabar com as eleições para os novos presidentes da Câmara e do Senado. A aposta é que a legenda sairá fortalecida com o eventual sucesso de Henrique Eduardo Alves e Renan Calheiros na disputa pelos comandos das duas Casas. E que a relação com o Planalto terá que mudar. Resta saber, quem terá coragem de falar isso pessoalmente para a presidente Dilma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário