quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

PT marca jantar para pagar multas de condenados no mensalão

 

Convites variam de cem a mil reais; multas passam de R$ 1,8 milhão.
110 pessoas já pagaram; para governador, solidariedade não é adesão.

 
13/05/2005 - O ministro da Casa Civil José Dirceu, e José Genoino conversam durante seminário do PT em São Paulo. (Foto: PAULO PINTO/AGÊNCIA ESTADO)Dirceu e Genoino receberam menção especial no
convite do jantar para arrecadar dinheiro de multas
(Foto: Paulo Pinto/Agência Estado)
A Juventude do PT do Plano Piloto, braço do partido no Distrito Federal, fará um jantar nesta quinta-feira (17) em uma galeteria de Brasília a fim de arrecadar fundos para o pagamento das multas aplicadas a petistas condenados no processo do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal.
Os beneficiados pela "vaquinha" serão o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, o ex-presidente do PT, José Genoino, o deputado federal João Paulo Cunha, e o ex-tesoureiro Delúbio Soares. Juntas, as multas a que os quatro petistas foram condenados somam mais de R$ 1,8 milhão.
Dirceu foi condenado a pagar R$ 676 mil, além de 10 anos e 10 meses de prisão; Genoino pegou multa de R$ 468 mil e seis anos e onze meses de prisão; João Paulo Cunha, multa de R$ 370 mil e nove anos e quatro meses de prisão; e Delúbio, multa de 325 mil, mais oito anos e onze meses de prisão. (Veja as penas de cada condenado no processo).
O jantar será em um restaurante do Lago Norte, em Brasília, especializado em galetos. Quem quiser participar, poderá escolher quanto irá pagar. O convite mais barato custa R$ 100 e o mais caro, R$ 1.000, segundo informou um dos organizadores do evento, o militante Pedro Henrichs.
Do total de 170 lugares disponíveis no restaurante, 110 já estão vendidos, segundo o organizador.
É injusto nossos companheiros gastarem qualquer centavo do próprio bolso para pagarem uma multa que não é deles"
Pedro Henrichs,
da Juventude do PT no Plano Piloto
"Primeiramente achamos que o julgamento [da ação penal 470] foi midiático, durante o período eleitoral. Acreditamos que é injusto nossos companheiros gastarem qualquer centavo do próprio bolso para pagarem uma multa que não é deles. Nossa intenção mesmo é ajudar", afirmou Henrichs.
Segundo o jovem petista, o dinheiro arrecadado será integralmente repassado ao PT Nacional, que ficará de entregá-lo aos companheiros condenados.
No convite enviado aos petistas, a organização do evento afirma que o julgamento do mensalão resultou "entre outras injustiças cometidas, em uma multa milionária em desfavor de alguns de nossos principais dirigentes, em especial, José Dirceu e José Genoino".
"Esta é a primeira de uma série de atividades que o PT realizará por todo o país, como ação política para fazer o debate junto a população sobre a decisão do Supremo", informou a organização.
Em novembro, assim que foram estipuladas as primeiras multas aos petistas, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, disse que o partido não iria arcar com o prejuízo. O dirigente esclareceu que, por lei, a legenda não pode arrecadar fundos para ajudar seus membros. Mesmo assim, não iria censurar eventuais doações espontâneas de quisesse ajudar.
Solidariedade, não adesão
O governador de Sergipe, Marcelo Déda, quadro histórico do PT, teve uma audiência com a presidente Dilma Rousseff na tarde desta quarta-feira (16) e afirmou que não participará do jantar porque não estará na cidade. Mas avisou que, se demandado, contribuirá com os condenados.

"Solidarizar-se com um companheiro, com um amigo, que eventualmente sofreu uma condenação criminal, não significa nenhum tipo de adesão a um possível erro que foi cometido", afirmou o governador. Questionado sobre o valor com o qual poderá contribuir, respondeu: "Isso é outro departamento".
Confirmaram presença lideranças do PT do Distrito Federal, como a deputada federal Érica Kokay e o secretário de Habitação do Governo do Distrito Federal, Geraldo Magela, além do deputado federal e ex-presidente do PT Ricardo Berzoini (SP).

Nenhum comentário:

Postar um comentário