segunda-feira, 25 de março de 2013

SSP apresenta quadrilha que assaltava bancos no NE

 

A quadrilha era especializada em explosão de caixas eletrônicos, após o fechamento dos bancos.
Divulgação / Secom
Foto: Gilson Teixeira
SÃO LUÍS - A Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP) apresentou, nesta segunda-feira (25), durante entrevista coletiva, uma quadrilha envolvida em assaltos a banco no Maranhão e nos estados do Piauí, Pará e Tocantins. A polícia informou que bandidos faziam parte de uma extensão da quadrilha de Ivo Maranhão, um dos assaltantes mais conhecidos e perigosos do Nordeste, preso em outra operação policial. Foram apreendidos armas de grosso calibre e muita munição.

A prisão dos assaltantes é fruto de uma operação deflagrada pela Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) em conjunto com o Núcleo de Inteligência da SSP.

Durante a ação foram detidos Antônio Carlos da Silva Santiago, conhecido como “Carlinhos garimpeiro”, 43 anos, natural de Presidente Dutra, preso em Buriticupu, líder da quadrilha; Raimundo Muniz dos Santos, o “Velho”, 55 anos, natural de Imperatriz e preso em Açailândia; Fabrício de Oliveira Sousa, 30 anos, também natural de Imperatriz, preso na cidade de Araguaína (TO); Edmilcio Conceição Pereira, mais conhecido como “Bigode”, 56 anos, natural de Vitorino Freire; e Maurício Sousa do Monte, 26 anos, natural de Imperatriz, soldado da Polícia Militar lotado no 12º Batalhão de Estreito, que era responsável pelo transporte das armas. Ariosvaldo Silva Lima, o “Ari”, 29 anos; e Wellington de Sousa Lima, conhecido como “Gigante”, 26 anos, ambos de Imperatriz, já haviam sido presos semana passada pela PM.

De acordo com o secretário de Estado de Segurança, Aluísio Mendes, essa quadrilha era especializada em assaltos e explosão de caixas eletrônicos que agia sempre após o fechamento do horário bancário, facilitando assim o roubo. “Essa quadrilha é responsável pelos dois últimos maiores assaltos no Maranhão, nas cidades de Vitorino Freire e Santa Helena. No roubo foram levados mais de R$ 2 milhões”, explicou.

Aluisio disse que a quadrilha possui patrimônios muito grandes e mesmo com parte do bando de Ivo Maranhão já preso, a quadrilha ainda atuava aterrorizando várias cidades.

O secretário de Segurança esclareceu que a polícia tem realizado um bom trabalho e o Maranhão já tem 95% de redução nos grandes crimes praticados no Estado. “Entre os elementos presos, estamos tirando de circulação também um policial militar que era integrante da quadrilha. Ele será expulso e faremos de tudo para que ele fique preso e cumpra a pena por muito tempo”, acrescentou.

Augusto Barros, superintendente Estadual de Investigações Criminais, informou que as ações e crimes dessa quadrilha já vinham sendo monitorados há algum tempo e que o objetivo da polícia é evitar e paralisar a circulação de dinheiro dos bandidos através da grande quantidade de bens que eles possuem.

Segundo o delegado Luis Jorge do Departamento de Combate a Assaltos a Instituições Financeiras da Seic, o chefe da quadrilha Antônio Carlos da Silva Santiago, conhecido como “Carlinhos Garimpeiro” possui um grande patrimônio entre fazendas, postos de gasolina e casas. “Ele tinha mandado de prisão nos municípios de São Domingos, Zé Doca, Santa Helena e Vitorino Freire, as prisões já foram decretadas e o próximo passo é instaurar a ação penal o mais rápido possível”, disse.

As prisões foram efetuadas nos municípios de Buriticupu, Açailândia, Imperatriz, Vitorino Freire e no Tocantins. Os assaltantes responderão pelos crimes de roubo qualificado, roubo consumado, uso de armas, formação de quadrilha armada e ainda tentativa de homicídio.
Material Apreendido

As armas e munições apreendidas na operação foram encontradas enterradas verticalmente em grandes tubos de PVC, manobra que dificultava a investigação da polícia. Dentre o material apreendido estão três escopetas calibre 12, um fuzil AK 47, uma carabina ponto 30, um fuzil de ferrolho 458, 585 munições, sendo 82 de calibre 762 cano longo; 80 de calibre ponto 30; 333 de calibre 762 cano curto e 90 de calibre 12, cerca de 4 kg de explosivos, cinco espoletas e ainda máscaras e luvas utilizadas para disfarce nos assaltos.

Participaram, também, da coletiva, o secretário-adjunto de Inteligência, Laércio Costa; o subdelegado geral da Polícia Civil do Maranhão, Marcos Affonso Júnior; e o delegado Samuel Morita, da Delegacia de Vitorino Freire.

As informações são da Secom do governo do Estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário