terça-feira, 14 de maio de 2013

Sheik evita provocar o Boca Juniors: ‘Não estamos para brincadeira’


Normalmente brincalhão, atleta muda postura antes de encarar argentinos e prevê jogo difícil: ‘Queremos entrar respeitando, mas queremos passar’


Emerson treino Corinthians (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com) 
Emerson, em treino do Corinthians, no CT
(Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)
O atacante Emerson Sheik costuma protagonizar entrevistas coletivas engraçadas, repletas de brincadeiras e provocações. À véspera da partida contra o Boca Juniors, nesta quarta-feira, às 22h (horário de Brasília), no estádio do Pacaembu, o jogador assumiu postura séria - exceto por uma leve cutucada no rival Palmeiras. Disse que confia na maturidade do Corinthians para avançar às quartas de final da Taça Libertadores da América, mas demonstrou pleno respeito pelo time argentino.
Derrotado por 1 a 0 pelo Boca Juniors no estádio de La Bombonera, há duas semanas, o Timão precisa vencer por dois gols de diferença para continuar sonhando com o bicampeonato continental. Será a primeira vez que o técnico Tite terá de reverter um resultado negativo em mata-mata pelo Corinthians. Para levar a melhor na situação inédita, Sheik confia na seriedade dos jogadores e na força da torcida.
Não vai ter brincadeira com a gente, não. Serão 40 mil gritando fora do campo e 11 loucos lá dentro, correndo para buscar os gols e avançar na competição"
Emerson Sheik
– Por mais que eu seja brincalhão e espontâneo, não estamos para brincadeira, não. Queremos entrar respeitando, que fique bem claro, mas queremos passar. Não vai ter brincadeira com a gente, não. Serão 40 mil gritando fora do campo e 11 loucos lá dentro, correndo para buscar os gols e avançar na competição. A hora não é para brincar. É pra valer mesmo – afirmou o atacante.
O Timão acredita em postura totalmente defensiva do Boca Juniors. Isso porque, se o time argentino fizer um gol, obrigará os donos da casa a marcarem três para ficar com a vaga nas quartas de final. Conforme o previsto, o técnico Carlos Bianchi ensaiou sua equipe no esquema tático 4-4-1-1, com Riquelme como titular. Do lado alvinegro, a ideia é oposta: atacar desde o primeiro minuto para não dar chance ao adversário.
Ciente da necessidade que o Corinthians tem de marcar pelo menos dois gols para avançar sem a necessidade de pênaltis (haverá disputa caso o Timão vença por 1 a 0), Emerson “previu” um pouco de nervosismo e alguns erros no início do jogo, mas pediu aos torcedores que não se incomodem, já que a equipe brigará pela vaga durante os 90 minutos de jogo.
– Estaremos jogando contra uma equipe que virá mais defensiva. Esperamos isso. O Corinthians certamente vai errar um pouco mais que o normal. O torcedor tem de ter paciência, entender que a vantagem é do Boca e que vão segurar mais que o normal. O incentivo durante o jogo todo é importante, esquecendo arbitragem, focando só na partida.
  – Falam que no Campeonato Argentino eles não vencem nunca, que estão em 18º e sei lá o que mais. Não acredito em nada disso. No campo, são onze contra onze. Quando o juiz apita o início do jogo, ninguém quer dar male. Vai ser difícil pra caramba.

Nenhum comentário:

Postar um comentário