terça-feira, 15 de outubro de 2013

Polícia vai investigar protestos contra proibição de vans no Rio


Nesta segunda, vias foram fechadas e secretaria teve sede invadida.
Para prefeitura, grupos de milicianos são responsáveis pelo protesto.

A Polícia Civil do Rio vai investigar os protestos contra as novas regras para a circulação de vans na Zona Oeste da Cidade, como mostrou o Jornal Nacional. Manifestações provocaram transtornos desde a manhã desta segunda-feira (14).
Um protesto de motoristas de vans causa confusão na Estrada de Jacarepaguá (Foto: Alexandre Brum / Agência O Dia / Estadão Conteúdo)Sexta teve mais confusão em Rio das Pedras (Foto:
Alexandre Brum/Agência O Dia / Estadão Conteúdo)
Barricadas feitas com lixo e pneus em chamas impediram a circulação de ônibus e  vans na avenida que corta a comunidade de Rio das Pedras. Trabalhadores tiveram que caminhar muito até chegar aos pontos de ônibus mais próximos. Segundo a Prefeitura do Rio, grupos de milicianos foram os responsáveis pelo protesto.
Na sexta, outro protesto já havia tido pneus e madeiras queimados e até confronto com a Polícia Militar.
Também nesta segunda, um grupo de motoristas invadiu o prédio da Secretaria municipal de Transportes e só deixou o edifício após uma reunião com representantes do órgão. O policiamento no local foi reforçado e o prédio chegou a ser fechado após a invasão.
Trânsito caótico
Durante a manhã desta segunda, o trânsito ficou caótico em vias da Zona Oeste em função de protestos da categoria contra a proibição de cirulação de vans na região por determinação da prefeitura. Segundo o Coordenador Especial de Transporte Complementar, Cláudio Ferraz, grupos de milicianos que controlam o sistema das vans, e não os motoristas, estariam por trás das queimas de pneus na manifestação.
Após reunião na secretaria, trabalhadores da categoria afirmaram que vão sugerir um plano de rotas alternativas para circular na região na próxima quarta-feira (16). O percurso dos veículos não autorizados seria feito por ruas diferentes às de Serviço de Transporte Público Local (STPLs) – vias onde somente transportes legalizados na prefeitura circulam. Hoje apenas 398 vans da região estão registradas, segundo eles.
A reunião contou apenas com a presença de Claudio Ferraz; o secretário municipal de transportes, Carlos Roberto Osório, não esteve presente. Segundo Ferraz, existe a regularização das vans tem objetivo de impedir que um poder paralelo explore os trabalhadores do setor.
"São elementos que historicamente sempre viveram extorquindo e se beneficiando do profissional que conduz o transporte. A existência (do poder paralelo) já foi comprovada em investigações. Nunca se afirmou em hipótese nenhuma que o profissional é miliciano ou de alguma organização criminosa. O profissional é uma das primeiras vítimas da questão da desregulamentação", disse ele.

Na saída da reunião, um dos motoristas disse que a prefeitura está negando o direito da categoria de trabalhar. "Todo mundo aqui é pai de família, temos carnê pra pagar e eu moro de aluguel. O que a gente quer é o direito de trabalhar e uma licitação justa. Já pensei em tirar meus filhos da escola, não sei como vou pagar meu aluguel. Isso está errado, todo mundo aqui tem o direito de trabalhar", disse o motorista Rodrigo Araújo.
Prédio da Secretaria Municipal de Transportes é fechado após invasão de motoristas de vans (Foto: Renata Soares/G1)Prédio da Secretaria Municipal de Transportes foi
fechado após invasão de motoristas de vans
(Foto: Renata Soares/G1)
Protesto na Barra
Por volta das 6h30, os manifestantes bloquearam a Avenida Engenheiro Sousa Filho, a principal rua que corta a comunidade de Rio das Pedras. Por volta das 12h, as vias da região tinham sido liberadas ao tráfego.
No início da manhã, um grupo chegou a montar barricadas e atear fogo em pneus. Às 10h, eles seguiram em caminhada até a subprefeitura da Barra, na Avenida Ayrton Senna, na Barra da Tijuca, deixando o trânsito caótico na região.
Os reflexos seguiam até a Linha Amarela. Segundo a Lamsa, concessionária responsável, a via apresentava congestionamento até a altura da Praça do Pedágio. Os motoristas protestam contra mudanças no esquema de circulação de vans na Zona Oeste.
Milícia envolvida, diz prefeitura
Segundo a Prefeitura do Rio, o ato é promovido por milicianos. "Nós temos a informação que existem grupos que não estão satisfeitos com o processo licitatório em andamento que reordena o transporte complementar no município. Esses grupos estariam insatisfeitos porque historicamente extorquiam e exploravam a irregularidade a falta de disciplina do segmento", declarou o delegado Cláudio Ferraz, da Coordenadoria Especial de Transporte Complementar,
De acordo com a RioÔnibus, a frota de que atende a comunidade de Rio das Pedras foi aumentada em 20% para suprir a demanda. Por volta das 11h, os motoristas esperavam a autorização da Polícia Militar para poder operar.
Na manhã de sábado (12) e na noite de sexta (11), os motoristas já haviam feito uma manifestação. Todas as vans  estão proibidas de passar por quatro das principais vias da região. Desde sábado, está proibida a circulação de vans nas avenidas das Américas, Ayrton Senna, Armando Lombardi e Ministro Ivan Lins. O tráfego só estará liberado nas outras ruas da Barra da Tijuca e de Jacarepaguá, mas para uma quantidade bem menor de vans.
Os motoristas de vans que desobedecerem as novas regras serão multados em R$ 1.250. No total serão 392 veículos divididos em 18 linhas, Todas devem estar nas ruas dentro de cinco semanas.
Linhas
Três linhas começaram a circular neste sábado.
Taquara x Center Shopping (Via Retiro dos Artistas)
Taquara x Center (Via Nelson Cardoso)
Taquara x Center Shopping (Via Mirataia)
Vans sem licitação e kombis não podem mais circular nesses itinerários. Durante a primeira fase do novo sistema. A frota dos ônibus que fazem esses trajetos deve aumentar em 20%.
Homens ligados às vans colocam fogo em pneus na rua Engenheiro Souza Filho, em Rio das Pedras e fecham o trânsito (Foto: Gabriel de Paiva/Agência O Globo)Homens ligados às vans colocam fogo em pneus na rua Engenheiro Souza Filho, em Rio das Pedras e fecham o trânsito (Foto: Gabriel de Paiva/Agência O Globo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário