terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Estado brasileiro se une para 'honrar Mandela', diz Dilma no Twitter


Presidente embarcou para a África do Sul acompanhada de ex-presidentes.
Mandela liderou transição que encerrou a política do apartheid em seu país.

Dilma e ex-presidentes da República posam para foto antes de embarcarem para o velório do líder sul-africano Nelson Mandela (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)Dilma e ex-presidentes da República posam para foto antes de embarcarem para o velório do líder sul-africano Nelson Mandela (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)
Acompanhada de quatro ex-presidentes da República, a presidente Dilma Rousseff embarcou, às 12h30 desta segunda-feira (9), para a África do Sul para participar dos ritos fúnebres pela morte do líder sul-africano Nelson Mandela. Em sua conta no microblog Twitter, a chefe do Executivo disse que o Estado brasileiro se uniu para "honrar Mandela".
A comitiva presidencial partiu para o continente africano da base aérea do Galeão, no Rio de Janeiro. Os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da SilvaFernando Henrique Cardoso, FernandoCollor de Mello e José Sarney se encontraram com a atual chefe do Palácio do Planalto logo após Dilma participar de um evento da Clinton Global Initiative, organização criada pelo ex-presidente norte-americano Bill Clinton.
"O Estado brasileiro se une para honrar Mandela, exemplo que guiará todos aqueles que lutam pela justiça social e pela paz. #Mandela", escreveu. "É uma demonstração de que as eventuais divergências no dia-a-dia não contaminam as posições do Estado Brasileiro", complementou.

Segundo a assessoria do Planalto, a previsão é de que o avião da Presidência pouse em Johanesburgo à 1h desta terça (10), 21h no horário de Brasília.

Ainda nesta terça-feira, as autoridades participarão da uma missa fúnebre oficial que será realizada no Estádio FNB, em Johanesburgo. De acordo com o governo federal, a previsão é que a presidente Dilma participe do evento entre 11h e 13h, horário local. Ainda não está definido o horário de retorno da chefe de estado brasileira, nem se a presidente terá outro compromisso oficial.
Também integram a comitiva presidencial os ministros Luiza Bairros (Secretaria de Promoção da Igualdade Racial), Helena Chagas (Secretaria de Comunicação Social), Luiz Alberto Figueiredo (Relações Exteriores) e o assessor especial da Presidência para assuntos internacionais, Marco Aurélio Garcia.
'Madiba'
Símbolo da luta contra a discriminação racial, o ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela morreu na quinta-feira (5), em Pretória, aos 95 anos. O líder sul-africano ficou internado de junho a setembro devido a uma infecção pulmonar. Ele deixou o hospital e estava em casa.

O corpo do vencedor do prêmio Nobel da Paz de 1993 será enterrado, de acordo com seu desejo, na aldeia de Qunu, localizada na província pobre do Cabo Leste, onde Mandela cresceu. Os restos mortais de três de seus filhos foram sepultados no mesmo lugar, em julho, após ordem judicial.

Conhecido como "Madiba" na África do Sul, Mandela foi considerado um dos maiores heróis da luta dos negros pela igualdade de direitos no país e foi um dos principais responsáveis pelo fim do regime racista do apartheid, vigente entre 1948 e 1993.

Nenhum comentário:

Postar um comentário