terça-feira, 6 de maio de 2014

Câmara de João Lisboa realizou debate com prefeito e representantes da SUZANO





Regivaldo Alves

JOÃO LISBOA – Na tentativa de solucionar os problemas ocasionados com as obras da SUZANO. A Câmara de vereadores realizou na tarde de ontem (05), uma reunião que contou com a participação do prefeito Jairo Madeira, da vice-prefeita Maria do Nilson, dos representantes da SUZANO, de relações institucionais Mauro Rangel, Paloma Aguiar e a consultora de comunicação Glaucia Dias. Além do presidente Francimar Carvalho, dos vereadores Evaldo Seledor, Roni Marcelino,  João Filho, Val da Saúde e a vereadora Val Mota.
            Na pauta foram debatido os transtornos recorrentes quanto ao trem da empresa ficar parado durante cerca de 1 hora pela parte da manhã e a noite no trecho de acesso ao Centro dos Carlos e Bom Lugar. A construção dos viadutos sobre a ferrovia e cabeceiras de acesso. Alem da boataria feita por funcionários da empresa.
“Que a empresa não deixe que funcionários voltem a espalhar boatarias sobre o município. Já aconteceu isso antes, e agora esta acontecendo novamente na questão da construção das cabeceiras. O dever é da empresa e não do município em realizar a obra”, disse o prefeito Jairo Madeira.  O prefeito enfatizou também que o trem não pode continuar parando nos trechos entre Centro dos Carlos e Bom Lugar, impedindo a comunidade de ir e vir. “Que haja uma solução rápida para este problema. E o município esta esperando também  ações da empresa, como implementações na área social”.
O representante da SUZANO, o senhor Mauro Rangel relatou que enquanto não tiver pronto os viadutos, o trem não poderá parar nestes trechos. E sobre a construção das cabeceiras do viaduto. Mauro ressaltou que a empresa esta com problemas para iniciar a construção. “Houve a necessidade da compra de áreas nas laterais do viaduto. A negociação que foi feita para a realização da compra da área. Ainda não avançou devido ao alto valor cobrado pela venda. Uma das pessoas proprietária esta cobrando um valor de 10 mil reais por metro. Os investimentos têm seus impactos, no entanto a empresa já esta  também deixando benefícios. Queremos solucionar estes problemas ate o final deste mês”.
O presidente Francimar Carvalho disse que o trem tem cerca de 1700 metros e esta impedindo moradores de dois povoados. “Ate o momento não estou vendo avanços nas discussões. E a única ajuda da empresa foi à revitalização da estrada vicinal do Centro dos Carlos. Ate hoje a comunidade não teve nenhum beneficio. A necessidades tanto no Centro dos Carlos e no Bom Lugar, alem de querermos uma solução para a construção dos viadutos e cabeceiras, tem ainda solicitações na área social que a empresa se comprometeu e ate o momento nada foi feito”.
O vereador João Filhos, solicitou a construção de um viaduto, no trecho Lagoa da Onça. E a construção de um poço artesiano para a comunidade.
Já o vereador Evaldo Seledor, lembrou a questão dos viadutos, e outro assunto a construção de um outro viaduto na parte da linha que foi construída recentemente. “Que poço artesiano que foi utilizado pela empresa durante as obras que seja cedido para o povoado Centro dos Carlos”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário