quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Cena da morte de Kim Jong-un em 'A entrevista' vaza na internet, diz jornal


'Daily Mail' mostrou trecho em que ditador da Coreia do Norte pega fogo.
Estreia de filme com Seth Rogen e James Franco foi adiada após ameaças.

Cena do filme 'A entrevista' que mostra a morte da versão fictícia do ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un (Foto: Reprodução/Sony Pictures/The Telegraph)Cena do filme 'A entrevista' que mostra a morte da versão fictícia do ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un (Foto: Reprodução/Sony Pictures/The Telegraph)
A cena do filme "A entrevista" que a mostra a morte da versão fictícia do ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un, vazou na internet nesta quinta-feira (18), informa a imprensa internacional. Jornais como o britânico "The Telegraph" e o americano "New York Post" exibiram o trecho no qual o rosto do líder norte-coreano pega fogo após o helicóptero em que ele estava ser atingido por um míssil.
Estrelado por Seth Rogen e James Franco, "A entrevista" teve sua estreia cancelada nesta quinta-feira (17) pela distribuidora Sony Pictures. A previsão era de que o longa entrasse em cartaz em 25 de dezembro. Isso aconteceu depois de grandes redes de salas de cinema dos Estados Unidos se negarem a exibir o filme por conta das ameaças recentes de hackers.
Na terça-feira (16), o grupo que alega ser responsável por hackear as redes da Sony ameaçou atacar as salas de cinema que passassem "A entrevista". A comédia é sobre um plano fictício da CIA para assassinar Kim Jong-un. A ameaça, que foi divulgada em sites de compartilhamento de arquivos, fez menção ao atentado 11 de setembro e afirma que "o mundo está tomado pelo medo"

"À luz da decisão da maioria dos nossos expositores de não exibir o filme 'A entrevista', decidimos não avançar com o lançamento planejado para 25 de dezembro", informou a Sony em um comunicado. "Respeitamos e compreendemos a decisão de nossos parceiros e, é claro, dividimos totalmente seu interesse proeminente na segurança do público e dos funcionários."
No texto, a Sony também disse que está "profundamente triste com este esforço descarado para suprimir a distribuição de um filme, e com isso prejudicar a nossa empresa", e que está ao lado dos cineastas de "A entrevista".
No mesmo dia, a estreia do filme em Nova York já havia sido cancelada. Uma porta-voz da Landmark, que iria realizar a sessão em sua sala no Lower East Side, disse por e-mail que a exibição seria cancelada, mas não explicou os motivos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário