sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Unimed atrasa salários, e Celso Barros minimiza: "Direito de qualquer um"


Atletas não recebem 13º, vencimento de dezembro e não devem receber em janeiro. Ex-patrocinador dá a entender que assuntos relativos ao Flu estão em segundo plano

Celso Barros entrevista  (Foto: André Durão / GLOBOESPORTE.COM)Celso Barros, presidente da Unimed, ex-patrocinadora do Fluminense
(Foto: André Durão / GLOBOESPORTE.COM)
A Unimed, patrocinadora do Fluminense nos últimos 15 anos, rompeu com o clube no início deste mês e o elenco já sente no bolso os efeitos da separação. Os jogadores não receberam o pagamento no quinto dia útil de dezembro e foram avisados que não haverá depósito também em janeiro. O GloboEsporte.com tentou entrar em contato com a diretoria do Flu para comentar o caso, mas não obteve resposta.

Em novembro, a cooperativa médica já havia atrasado em 20 dias o pagamento, e os jogadores também não receberam o 13º, apenas a parte que cabe ao Fluminense - que fez o depósito adiantado. Presidente da Unimed, Celso Barros afirmou que não sabe se existe ou não atraso, mas se tiver "é um direito de qualquer um". 

- Eu não sei de atraso não, quem talvez saiba é o superintendente financeiro. Não tem que informar se está em atraso ou não, atrasar é um direito de qualquer um. O Fred não disse que o Fluminense está atrasado em 25 meses? Se tem um mês nosso, não sei. Não estou sabendo, estamos com outros problemas mais sérios para resolver do que esse depois de 15 anos - disse.

Em um comunicado oficial através da assessoria de imprensa, a cooperativa médica não confirmou nem desmentiu os atrasos. Disse apenas que está negociando caso a caso e que a prioridade é reduzir custos.

1) Todos os procuradores dos jogadores estão sendo acionados para solução caso a caso, levando-se em conta inclusive as eventuais mudanças de clube;

2) O pagamento referente aos contratos de imagem será feito de acordo com as prioridades e o caixa da cooperativa, que passa por reestruturação e redução de custos, visando preferencialmente o fortalecimento do vínculo com sua rede de hospitais e clínicas, médicos cooperados e mais de 1 milhão de clientes. 


Apesar de o patrocínio ter se encerrado, a Unimed ainda tem contratos de direito de imagem a cumprir com vários jogadores: Fred, Conca, Rafael Sobis, Walter, Jean e Wagner. Destes, Sobis já avisou que não permanece nas Laranjeiras. Os valores representam de 50% a 80% dos vencimentos. Cícero e Henrique passariam a receber a partir de janeiro de 2015.

No dia 10 de dezembro, o GloboEsporte.com noticiou que o elenco teria problemas com o pagamento após a rescisão do contrato com o patrocinador. Na ocasião, no entanto, Celso Barros havia adotado um tom diferente ao garantir que todas as obrigações com os atletas seriam cumpridas. 

- Eu garanto: a Unimed vai cumprir todos os seus contratos com os jogadores do Fluminense. Os contratos serão honrados. Mesmo que a parceria tenha sido encerrada, mesmo que a marca da Unimed não esteja estampada no uniforme do clube - disse Barros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário