quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Flávio Dino é empossado como governador

EM SOLENIDADE NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

O vice-governador, Carlos Orleans Brandão Junior, também foi empossado.

Foto: Heider Matos/Imirante.com
SÃO LUÍS – O ex-magistrado e professor universitário Flávio Dino de Castro e Costa tomou posse na tarde desta quinta-feira, 1º de janeiro de 2015, como governador do Maranhão. A cerimônia ocorreu na Assembleia Legislativa do Maranhão, localizada no bairro do Calhau, em São Luís. O vice-governador, Carlos Orleans Brandão Junior, também foi empossado pelo Presidente da Assembleia Max Barros.
O governador chegou à assembleia às 14h57 e durante entrevista que aconteceu pouco antes a cerimônia de posse, Dino ressaltou os seus compromissos de campanha e disse que seu governo terá como base o diálogo. “Nosso governo será baseado na construção das maiorias políticas e sociais voltadas à justiça social. Vamos fazer um governo limpo, honrado e honesto baseado no diálogo”.
Pouco depois, deu-se início cerimônia de posse. Diante de um plenário cheio, Dino e Brandão fizeram o juramento de posse. “Prometo manter, defender e cumprir a Constituição do Brasil e do Maranhão, observar as leis, promover o bem geral do povo do Maranhão e desempenhar com fidelidade as funções de governador do Estado”. Em seguida, o 1º secretário da Assembleia, deputado Rogério Cafeteira, leu os termos de posse do governador e do vice. Em seguida, o deputado Max Barros declarou Flávio Dino e Carlos Brandão empossados.
Em seu discurso de posse, Dino anunciou as primeiras medidas de seu governo, entre elas a criação das secretarias de Transparência e Controle e a de Agricultura Familiar. “Estou enviando um projeto de lei para esta casa, que visa criar o programa Mais Bolsa Família Escola. Estamos também, por medida provisória, criando duas importantes secretarias que constavam no nosso programa de governo. Uma cuidará da Agricultura Familiar [...] a outra da Transparência e Controle”, anunciou.
Logo após a cerimônia oficial, o governador e o vice dirigiram-se para o Palácio dos Leões, sede oficial do governo do Maranhão, para a solenidade de transferência do cargo. Diante de centenas de pessoas, Dino recebeu do governador interino, Arnaldo Melo, a faixa de governador do Estado do Maranhão. Em seguida, o novo governador discursou o lado de correligionários e anunciou outras medidas.
Entre as medidas: Projeto de Lei Nº que dispõe da criação do Programa Mais Bolsa Família Escola; Decreto Nº 30611 cria Comissão Especial para providencias de venda um imóvel de propriedade do Governo do Estado. Decreto Nº 30612 institui o plano de ações Mais IDH; Decreto Nº 30615 regulamenta a convocação de mil soldados da Policia Militar aprovados em concurso. Decreto Nº 30616 institui a Força Estadual da Saúde do Maranhão. Decreto Nº 30618 dispõe da proibição de nome de pessoas vivas em logradouros e prédio públicos sob domínio da administração estadual. Decreto Nº 30619 regulamenta os artigos 60 e 61 da Lei 9860, de primeiro de julho de 2013, dispondo dos critérios de seleção escolar para os cargos de direção de unidades de ensino de unidades públicas; Decreto Nº 30620 institui o Programa Escola Digna, entre outros decretos.
Flávio Dino, 46 anos, foi eleito com 63,52% dos votos válidos, no primeiro turno das eleições de 2014. Dino é o primeiro governador comunista da história do Brasil.
Autoridades
Estiveram presentes na solenidade: autoridades do Poder Judiciário, Executivo e Legislativo. Entre eles, a desembargadora Cleonice Freire, presidente do Tribunal de Justiça; dom José Belizário, arcebispo metropolitano de São Luís; Edivaldo Holanda Júnior, prefeito de São Luís; professor Natalino Salgado, reitor da Universidade Federal do Maranhão; vereador Astro De Ogum, presidente da Câmara de São Luís; Carolina da Hora Mesquita, chefe da Procuradoria Regional da República; além de representantes da Câmara e Senado Federal.
Além das autoridades locais, compareceram à solenidade: Luciana Santos (deputada federal de Pernambuco e vice-presidente nacional do PCdoB), Orlando Silva (deputado federal eleito por São Paulo e ex-ministro dos Esportes), Walter Sorrentino (secretário nacional de Organização), Nádia Campeão (vice-prefeita de São Paulo), Jô Moraes (deputada federal de Minas Gerais), Lélio Costa (deputado estadual do Pará), Virgínia Barros (presidente nacional da UNE), Renan Tiago Alencar (presidente nacional da UJS), Haroldo Lima (ex-presidente da ANP e ex-deputado federal) e Dilermando Toni (membro da direção nacional do PCdoB).
Trajetórias
Flavio Dino
Flávio Dino nasceu em 1968, em São Luís. O agora governador formou-se em direito pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA) no ano de 1991. Três anos após sua formatura, retornou a UFMA, desta vez, como professor.
Em 1994, Dino foi aprovado em 1º lugar no concurso para juiz federal. Presidiu a Associação Nacional de Juízes Federais (Ajufe) e foi secretário-­geral do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Em 2006, aos 38 anos, renunciou à carreira de juiz para ingressar na carreira política.
O primeiro mandato político veio em 2006, quando foi eleito deputado federal pelo PC do B. Na eleição de 2008, candidatou-se para prefeito de São Luís, mas foi derrotado por João Castelo (PSDB). Dois anos depois, disputou o pleito para o Governo do Maranhão, e perdeu para Roseana Sarney (PMDB). Em 2011, assumiu a presidência da Embratur, órgão responsável pela promoção turística do Brasil no exterior.
Carlos Brandão
Carlos Brandão é Médico Veterinário, formado pela Universidade Estadual do Maranhão (UEMA). Natural de Colinas (MA), Brandão ganhou destaque no cenário político em 2002, quando se tornou- chefe da Casa Civil do Governo do Estado do Maranhão. Em 2006, disputou sua primeira eleição para o cargo de deputado federal. No pleito, foi eleito com mais de 134 mil votos.


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário