Deoclides Macedo (PDT) foi diplomado suplente de deputado federal eleito pela coligação “Todos pelo Maranhão 2” nas eleições 2014, nesta quinta-feira (29), em São Luís, segundo a assessoria do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA).
deoclidesDeoclides Macedo (PDT) foi diplomado após decisão do TSE. (Foto: Divulgação / TRE-MA)
Segundo o TRE-MA, a diplomação certifica que o candidato cumpriu as formalidades previstas na legislação eleitoral e está apto a exercer o mandato. A prestação de contas dele foi aprovada com ressalvas na sessão jurisdicional do dia 27 de janeiro.
No dia 12 de janeiro, o tribunal realizou a recontagem e retotalização dos votos proporcionais para contabilizar os 56.171 votos destinado ao então candidato Deoclides Macedo no 1º turno. A medida cumpriu decisão monocrática do ministro e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Dias Toffoli proferida no dia 23 de dezembro.
Entenda
Nas eleições de 2014, Macedo concorreu sub judice ao cargo de deputado federal porque teve registro de candidatura indeferido pelo TSE após figurar como gestor ordenador de despesas julgadas irregulares pelo Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (TCE-MA) referentes à gestão municipal de 2005, quando ele era prefeito de Porto Franco.
No dia 23 de dezembro, o ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Dias Toffoli decidiu pela validação dos 56.171 votos destinados ao candidato a deputado federal Deoclides Macedo. Com a decisão, a coligação “Todos Pelo Maranhão 2″ (PDT, PTC e PROS) teve direito a mais uma vaga na bancada federal. Além de Weverton Rocha (PDT), Julião Amin (PDT) tomaria posse como deputado federal e, Deoclides Macedo, como primeiro suplente.
Amin obteve 64.896 votos nas eleições do dia 5 de outubro e não foi eleito. Ele já havia sido anunciado como secretário do Trabalho do governo Flávio Dino (PC do B) e diplomado como primeiro suplente em cerimônia realizada no dia 19 de dezembro, em São Luís.
Perdeu a vaga na Câmara Federal do candidato Alberto Filho (PMDB), da coligação “Pra Frente Maranhão 1″ (PMDB, DEM, PTB, PV, PRB e PR), que também já havia sido diplomado para tomar posse.