segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Anderson Silva controla Nick Diaz, vence por pontos em cinco rounds e chora de emoção


Em noite histórica, Spider retorna ao octógono com triunfo por decisão unânime

Publicação: 01/02/2015 09:01

Anderson Silva voltou ao Ultimate Fighting Championship com vitória. O Spider controlou bem a luta em cinco rounds, superou as provocações de Nick Diaz e foi declarado ganhador por decisão unânime (50-45, 50-45 e 49-46). O duelo, na madrugada deste domingo, fechou o histórico UFC 183, no MGM Grand Garden Arena, em Las Vegas, e marcou o retorno positivo do astro ao octógono depois de 13 meses afastado por causa de séria fratura na perna esquerda.


Depois da vitória, Anderson Silva não conteve a emoção. Tão logo teve o braço erguido pelo árbitro 'Big' John McCarthy, o Spider desabou no octógono e chorou copiosamente, enquanto era saudado pelos integrantes da equipe. O próprio Nick Diaz se aproximou, ajudou o brasileiro a se levantar e os dois deram um abraço. Conhecido pelas provocações aos oponentes, o bad boy aprontou no cage, fez gestos, deu pulinhos e parou para ajeitar a bermuda, tudo para tentar intimidar o ex-campeão, mas sem sucesso.

Antes de falar com o comentarista do UFC, Joe Rogan, sobre o vitorioso retorno ao octógono mais badalado do mundo, Anderson pulou a grade e cumprimentou outro astro da organização, o campeão dos meio-pesados, Jon Jones, que foi a Las Vegas torcer pelo amigo e até passou instruções em determinados momentos da luta. Uma festa completa para o Spider, que, aos 39 anos, vibrou e se emocionou como se fosse um estreante no MMA.

Em uma arena dominada por torcedores brasileiros, Anderson Silva se sentiu em casa. Durante os cinco rounds, os fãs deram força e gritaram "O campeão voltou". Tranquilo no octógono, o Spider adotou uma postura de controlar o oponente, sem ficar no raio de ação de Nick Diaz, muito perigoso na trocação. O americano, no começo, se preocupou mais em provocar, dar o seu show particular. Mas contra um atleta experiente como Anderson, a tática não deu certo. O ex-campeão mostrou seriedade e serenidade diante dos gestos característicos do bad boy.

Ao longo de todo o combate, Anderson foi superior. Além de não entrar na onda de provocações de Nick Diaz, teve amplo domínio das ações. Se não foi o mesmo lutador contundente de outrora, antes de sofrer a séria fratura na perna esquerda que o afastou por 13 meses, ele mostrou experiência e a personalidade de sempre. Arriscou mais na trocação, fez uma luta focada no boxe contra um 'striker' nato e conectou golpes que marcaram bastante o rosto do oponente. Vitória incontestável do grande astro do MMA, agora em nova fase na carreira.

"Obrigado Deus, obrigado por me der mais uma chance. Obrigado à minha família, meus filhos e meus amigos de verdade", afirmou Anderson Silva depois da histórica luta. ""Esse momento é muito importante para mim, para toda minha família e para todos os brasileiros. Queria agradecer a todos vocês que vieram aqui, todos os brasileiros. Esse momento foi muito importante por tudo o que passei aqui este ano, achei que não voltaria a lutar. Quero agradecer aos meus médicos e ao Dana e Lorenzo", acrescentou.

Anderson disse que não vê a hora de voltar para casa e reencontrar a família, antes de decidir sobre a próxima luta. Embora não confirme, ele pensa em dar sequência à carreira. "Meu filho Kalyl pediu para eu parar, e eu voltei. Agora vou rever minha família, e vamos ver. Talvez eu volte", frisou o Spider, com certo suspense, em meio aos gritos dos fãs no MGM Grand Garden Arena. Sobre o adversário, o ex-campeão elogiou a força psicológica do norte-americano. "Foi a primeira vez que lutei contra um cara tão forte mentalmente. Obrigado pela oportunidade, Nick. Nick dá um grande show, eu também dou um grande show. Este é o Nick Diaz, é um show, esse é o UFC", destacou Anderson Silva.

Nick Diaz, por sua vez, para não perder o hábito, questionou a nota dos juízes que deram o triunfo ao brasileiro. Mas ele admitiu dificuldade com os golpes desferidos por Anderson. "Eu estava achando que ele não ia chutar com aquela perna, mas depois de um tempo, ele começou a chutar bem. O chute realmente me raspou, mas não me tocou. Eu achei que venci todos os rounds, eu estava andando para frente toda hora. Mas acho que os juízes não gostam da minha atitude", declarou o bad boy.

Nenhum comentário:

Postar um comentário