sexta-feira, 17 de julho de 2015

Fernando Furtado coordena reunião sobre o mapeamento dos territórios maranhenses


O deputado Fernando Furtado (PCdoB) coordenou, na tarde de ontem, (16), na Sala das Comissões da Assembleia Legislativa, uma reunião sobre o recorte do mapeamento dos territórios no Maranhão.

A reunião - que teve como objetivo definir o recorte dos territórios do estado do Maranhão para que possam ser deliberadas políticas públicas do governo do Estado - contou com as presenças do secretário adjunto de Estado do Planejamento e Orçamento, Eduardo Beckman; do diretor do Instituto Maranhense de Estudos Sócioeconômico e Cartográficos- IMESC, Josiel Ribeiro, e do assessor da rede de colegiados do Estado, Osenildo Correia.

De acordo com Josiel Ribeiro, o IMESC vem trabalhando em um projeto de redefinição territorial do Estado com 21 regionais. Atualmente, o Maranhão possui 32. “O órgão já trabalha em um projeto de redefinição territorial que diminuiria de 32 para 22 regionais de planejamento”, enfatizou Josiel Ribeiro. Ele ressaltou ainda, que o modelo atual não contempla de forma eficaz todos os 217 municípios, no que diz respeito a educação, saúde, segurança e cultura, requisitos fundamentais para o desenvolvimento humano do Estado.

Já a Rede Estadual de Colegiados Territoriais sugere um projeto com apenas 14 regionais. “Apenas 14 regionais seriam suficientes para promover as políticas públicas necessárias para o desenvolvimento do Maranhão”, acentuou Osenildo Correa.

De acordo com Fernando Furtado, esse recorte é muito importante porque vai ajudar a definir as aptidões de algumas cidades em relação ao turismo e resolver conflitos que acontecem atualmente, no Maranhão, relacionados aos limites territoriais das cidades. “Precisamos ter um recorte único e que seja em sintonia com o do Governo Federal, para levar a essas regiões políticas públicas e ações do Governo Estadual e Federal”, concluiu.

Finalizando, Fernando Furtado afirmou que novas reuniões irão acontecer, inclusive, uma audiência pública com a participação de prefeitos e representantes políticos. O objetivo é que haja um consenso e seja garantido um recorte único, a ser aprovado no Plenário da Assembleia. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário