quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Romário "Goleia" João Alberto na CPI do Futebol

"Estou afirmando que ele é ladrão, estou afirmando que ele não presta, estou afirmando que ele tem que ser preso e, será preso, que assim seja, com a vontade de todos", disse Romário sobre Del Nero

Os senadores Romário (PSB-RJ) e João Alberto Souza (PMDB-MA) discutiram durante sessão da CPI do Futebol realizada na tarde da última quarta-feira (23), no Senado Federal.
Romário bate boca com João Alberto
Assim que a sessão começou, o ex-jogador e presidente da Comissão, Romário, tentou colocar em votação um requerimento convidando presidentes de clubes para prestarem depoimentos. O senador e suplente da CPI, João Alberto interrompeu e contestou afirmando que a convocação com base em denúncias veiculadas pela imprensa poderia prejudicar os dirigentes.
Romário argumentou que tratava-se de um convite para os dirigentes e que eles viriam ou não à comissão. João Alberto então passou a criticar aqueles que consideram que o futebol brasileiro vive uma crise, tem dirigentes ruins e a posição do Brasil na Copa do Mundo de 2014. Romário não perdeu tempo e rebateu:
“Primeiro que nosso futebol não é organizado, ele é um dos mais desorganizados do mundo. Segundo que não temos dirigentes bons e ruins, temos ruins e péssimos, essa é minha opinião, se vossa excelência tem a sua, eu tenho a minha. Terceiro, uma seleção brasileira que disputa em casa, toma de 7 a 1, e fica em quarto lugar, na Copa do Mundo no Brasil, se vossa excelência achar que isso é um resultado positivo, me desculpe, mas não posso acreditar que o senhor teve a experiência de ter dirigido algum clube de futebol, porque isso não entra na cabeça de ninguém, nem da minha, que joguei muitos anos, muito bem, inclusive, desculpe a modéstia. E sou conhecedor de todos os problemas do nosso futebol brasileiro”.
João Alberto
Continuando a declaração, Romário também falou sobre o papel de Marco Polo Del Nero à frente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). “Agora, em relação às denúncias que acontecem no jornal, por exemplo, o senhor não pode dizer que não é verdade, que o Marco Polo Del Nero é ladrão, é safado, é desonesto, é corrupto (...)”, ressaltou.
João Alberto interrompeu dizendo que não concordava, ao retomar a palavra, Romário acrescentou que esse é um direito do senador, mas que ele, como ex-jogador, respeitava a opinião, mas não poderia concordar, e seguiu fazendo declarações, entre elas que Del Nero seria como um câncer e a CBF só voltaria aos plenos poderes quando ele foi extirpado.
O debate continuou e João Alberto disse que o presidente da CPI deveria se controlar, com respeito às declarações. De acordo com João Alberto, Romário estava extrapolando e que existem opiniões que não devem ser ressaltadas, tendo em vista que a CPI é um lugar para julgar os acontecimentos, não opinar sobre eles.
“Cada um pode ter sua opinião (...) vossa excelência está equivocado, eu não estou dando opinião, estou afirmando que ele é ladrão, estou afirmando que ele não presta, estou afirmando que ele tem que ser preso e, será preso, que assim seja, com a vontade de todos”, concluiu Romário.
 Veja o vídeo da discussão o ex-jogador e o senador:

Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário