São Paulo – Quase metade dos deputados federais (45%) afirma que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), deve renunciar ao cargo, segundo dados do Datafolha divulgados pelo jornal  Folha de S. Paulo.
A sondagem revela que apenas 25% dos parlamentares apoiam a  sua permanência na direção da Casa. Outros 30% preferiram não se posicionar sobre o assunto.


O peemedebista, investigado na Operação Lava Jato, é acusado de ter contas secretas na Suíça. A suspeita é que elas foram usadas para esconder dinheiro oriundo de propina desviada de contratos fechados na Petrobras.
No dia 15 de outubro, o Supremo Tribunal Federal (STF) abriu uma nova frente de investigações contra o presidente da Câmara
Em depoimento, o lobista  Fernando Baiano confirmou que Cunha recebeu 5 milhões de dólares em contratos de navios-sonda da Petrobras. Desde o início, ele nega ter contas no exterior.
Mais de um terço dos 324 deputados ouvidos pelo levantamento, feito entre 19 e 28 de outubro, afirma que votaria a favor da cassação do deputado caso a Câmara abrisse um processo formal – no entanto, 52% não se posicionou a respeito.
Em entrevista, Cunha declarou que não renunciará. "Não existe impeachment de presidente da Câmara. Aqui [um afastamento] é só sob meu juízo próprio. E eu vou persistir”, disse há alguns dias.