segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Sem o apoio necessário, Zico não será candidato à presidência da Fifa


Galinho garantiu que seis federações nacionais estavam interessadas em apoiá-lo, mas situação mudou nesta segunda-feira, dia limite para protocolar a candidatura ao cargo


Zico (foto:Divulgação)
Então pré-candidato ao cargo de próximo presidente da Fifa, Zico confirmou, nesta segunda-feira – último dia para a confirmação das candidaturas –, que não disputará a eleição que será realizada em 26 de fevereiro do ano que vem, em Zurique. O Galinho, atualmente técnico do FC Goa, da Índia, lamentou não ter conquistado o apoio de, no mínimo, cinco federações nacionais para disputar o pleito.
– Não foi possível conseguir as cinco cartas para a candidatura da Fifa. Ontem estava mais animado, conversei com diversas pessoas, falei com seis presidentes de federações que quase garantiram o voto. Mas houve uma reviravolta grande na Uefa – disse Zico, em seu programa na Rádio Globo, se referindo à candidatura de Gianni Infantino, antes de completar:
– Hoje não vejo condições de que possa mudar algo na Fifa, principalmente por causa daqueles que estão lá brigando pelo cargo. Não vejo esperanças de vir alguma coisa nova e já esperava por isso, pela forma que a eleição é. Lamento que isso venha acontecendo.
Campanha de Zico teve artes gráficas em português inglês e italiano (Foto: Divulgação)
Apesar de, naturalmente, lamentar a situação, Zico se mostrou satisfeito com o fato de ter realizado uma campanha limpa diante dos seguidos escândalos enfrentados por diversos personsagens revelantes na Fifa.
– Pelo menos nesse período eu consegui dar o meu recado e mostrar como é importante ter uma campanha limpa de quem tem uma história no futebol. Quero agradecer a todos que me ajudaram a fazer esse movimento que começou com quatro pessoas e foi crescendo. Foram muitos que me ajudaram. Meu filho Júnior fez todos os contatos diretos com as federações – destacou o maior ídolo da história do Flamengo e um dos maiores nomes da Seleção Brasileira.
– Estou feliz por ter feito a campanha com esse sentido e, agora, vamos torcer para aqueles que estão lá e têm a responsabilidade. Que eles vejam o futebol com amor e paixão e não com o olhar do dinheiro, com o bolso – encerrou Zico, que teria conseguido, de fato, apenas os apoios das federações de São Tomé e Príncipe e Angola.
Durante visita à CBF ainda no fim de julho, teve a garantia de Marco Polo Del Nero, presidente da CBF que receberia o apoio da entidade caso garantisse outras quatro federações nacionais, o que acabou não ocorrendo. O Galinho chegou a protestar contra a necessidade do apoio de cinco federações em setembro, quando foi à sede da Fifa. 
Michel Platini, presidente das Uefa, será, de acordo com a imprensa internacional, um dos oito candidatos na eleição do dia 26 de fevereiro. Ele foi suspenso por 90 dias após a denúncia de ter recebido pagamento ilegal e, enquanto tal processo não for julgado, não poderá fazer campanha. Os outros seis, além do também já citado Infantino, são: o príncipe Ali Bin Al Hussein, da Jordânia; Salman Bin Ebrahim Al Khalifa, presidente da Confederação Asiática de Futebol (AFC); o sul-africano Tokyo Sexwade; o liberiano Musa Bility; o francês Jerome Champagne e o ex-jogador David Nakhid, de Trinidad e Tobago.


Leia mais no LANCENET! http://www.lancenet.com.br/minuto/Zico-eleicao-Fifa-conseguir-federacoes_0_1456054563.html#ixzz3piurwdpX
© 1997-2015 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário