O câncer de pênis é um tumor raro, com maior incidência em homens a partir dos 50 anos, embora também possa atingir os mais jovens. A doença está relacionada às baixas condições socioeconômicas, à má higiene íntima e a homens que não se submeteram à circuncisão. Para alertar sobre esse problema, o site Minha Vida publicou uma matéria que reúne as causas, os sintomas e os possíveis tratamentos para o câncer de pênis.
Reprodução
Reprodução
A falta de higiene é um dos maiores fatores de risco para o câncer de pênis
No Brasil, o tumor representa 2% de todos os casos de câncer no homem, sendo mais comum nas regiões Norte e Nordeste. A falta de higiene é um dos maiores fatores de risco para esse tipo de câncer. Para prevenir a doença, é importante lavar o pênis diariamente com água e sabão, principalmente debaixo do prepúcio, a pele que recobre a cabeça do genital (glande).
 
Confira um trecho do artigo:
A manifestação clínica mais comum do câncer de pênis é uma ferida persistente ou uma tumoração localizada na glande, no prepúcio ou no corpo do pênis. É preciso destacar que qualquer ferimento que não cicatriza, ou uma tumoração, independente de causarem dor devem ser examinados por um médico. Em alguns casos, o crescimento nos gânglios inguinais - íngua na virilha - pode ser uma manifestação inicial do câncer de pênis.
Quando falamos em câncer de pênis, o mais importante é disseminar massivamente entre a população masculina noções básicas de higiene íntima. Além disto, a prevenção da doença pode ser feita se o cidadão tiver a noção da importância de fazer o auto-exame do pênis.
Ao realizar o autoexame, os homens devem estar atentos à:
- Perda de pigmentação ou manchas esbranquiçadas;
- Feridas e caroços no pênis que não desapareceram após tratamento médico, e que apresentam secreções e mau cheiro;
- Tumoração no pênis e/ou na virilha (íngua);
- Inflamações de longo período com vermelhidão e coceira, principalmente nos portadores de fimose.