terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Maduro convoca chavistas para debater e analisar revés eleitoral

Líder anunciou jornada especial de debate na quinta (10) e sexta-feira (11).

Oposição obteve 107 deputados; governo alcançou 55 cadeiras.

O presidente da Venezuela, Nicolas Maduro (Foto: Palácio Miraflores / via Reuters)O presidente da Venezuela, Nicolas Maduro (Foto: Palácio Miraflores / via Reuters)
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, convocou nesta segunda-feira (7) os militantes do chavismo para uma "grande jornada de debate" e de diálogo para analisar o "revés" sofrido no domingo (6) pelo governo, que acabou derrotado nas eleições legislativas.


"Eu pedi que iniciemos um debate com nosso povo, mas um debate integral, um debate para fortalecer a revolução, um debate para buscar soluções para os temas do país, um debate para fazer mais revolução", disse Maduro em pronunciamento no palácio presidencial de Miraflores.
O presidente fez esse chamado em companhia de seus ministros e ex-candidatos nas eleições parlamentares de domingo. Maduro esclareceu que o debate não é para que o chavismo se "autoflagele" e corte suas próprias veias "como quer a embaixada gringa e o imperialismo", mas para "reconstruir uma nova maioria revolucionária".
Nesse sentido, Maduro disse que esta semana servirá para a realização de "uma grande jornada de debate, de consulta e de elaboração da estratégia de ação" para a "nova etapa" que se iniciou na "revolução bolivariana".
"Vocês não sabem a dor que sentimos no coração depois deste revés eleitoral, de como a burguesia causou prejuízo ao povo, não apenas economicamente, mas confundindo grandes setores de nossa sociedade, de nosso amado povo, a quem dirigimos uma mensagem: Nós somos vocês", disse o presidente.
No entanto, Maduro indicou que "não há tempo para tristezas" e que também não é hora de chorar, mas de "lutar" e buscar união entre os chavistas.
O líder venezuelano anunciou que já tem pronto um "primeiro cronograma de debate, consulta e ação" e que, nas próximas quinta (10) e sexta-feira (11), haverá uma jornada especial de trabalho, de avaliação e planejamento dos delegados do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV).
Além disso, nesta terça (8) será realizada uma reunião especial com os secretários gerais dos partidos que integram a aliança que apoia o governo, chamada de Grande Polo Patriótico (GPP), "para unificar critérios e identificar assuntos".
"Temos que cerrar fileiras junto a nosso povo", acrescentou Maduro.
Os resultados preliminares das legislativas na Venezuela indicam que a aliança opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD) obteve 107 deputados, enquanto o chavismo alcançou 55 cadeiras.
De acordo com os últimos resultados oferecidos pelo Conselho Nacional Eleitoral (CNE), a oposição obteve 64,07% dos votos, enquanto o PSUV ficou 32,93%.

Nenhum comentário:

Postar um comentário