quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

MP pede a Justiça que soldado seja levado a júri por morte de cinegrafista


CASO CARVALHO
Três promotores de Justiça pediram à Justiça que o soldado Reis vá a júri popular.


Divulgação / Polícia Civil

IMPERATRIZ – O Ministério Público solicitou à Justiça que pronuncie ao tribunal do júri popular o processo no qual figura como réu o policial militar Jean Claúdio dos Reis Apinajé.
Conforme os autos do processo, o soldado Reis é acusado de matar o cinegrafista José de Ribamar Carvalho Filho no dia 29 de novembro de 2014, num bar na rua Monte Castelo, Centro.
No pedido datado desta terça-feira (1º), os promotores Joaquim de Sousa Júnior, Uiuara Medeiros e Domingos Eduardo, sustentam que o soldado Reis deve ir à júri para responder por homicídio duplamente qualificado.
Após a manifestação do MP, a juíza recebe o processo e abre prazo de cinco dias para o advogado de defesa se manifestar e outros dez dias para decidir se vai ou não pronunciar o processo ao tribunal do júri popular. Caso o pedido do MP seja acatado, o próximo passo será apenas marcar a data do júri popular.
“O processo está na Primeira Vara, mas agora, no que depender do MP, é a sociedade que julgará o soldado Reis”, disse o promotor Joaquim Júnior.
O assassinato
assassinato de José Ribamar Carvalho Filho teve grande repercussão no Estado e até nacional. O soldado, na época suspeito, chegou a se apresentar para a Polícia Militar e ficou preso no quartel do 3º Batalhão de onde saiu meses depois apósuma decisão da Justiça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário